TCS News

18
jul

Top of heart

Dá um trabalhão colocar uma marca “top of heart”!

Propus-me a investir na marca da minha empresa:
Num primeiro momento parecia uma daquelas coisas do coração, que a razão não explica bem. Percebi que estava mais do que na hora de agregar valor ao que construímos por aqui, ao logo de mais de 15 anos de história.
Verdade é que todos nós sabemos que uma marca não nasce pronta. Não basta um bom logotipo, sede própria, produto sofisticado, modernos processos de gestão e colaboradores empenhados. Uma marca é forma e conteúdo, corpo e alma. É um conjunto que vai além do tangível. Passa pelo que é percebido. E isto depende da comunicação e do marketing. A imagem da marca é fruto de emissão, recepção de mensagens adequadas. Leva tempo e dá um trabalho danado construir uma marca forte. Destas que estão na mente dos consumidores, O top of mind do mercado. Para elevá-la ao nível de top of heart, que é o que eu pretendo com a nossa TCS, então... nem se fala!
Contratei um profissional especialista para nos conduzir por este caminho e já ao iniciar um trabalho focado nesta tarefa, comecei a me perguntar e tive até um certo aperto no coração quando pensei nisto: Quanto tempo se leva para destruir uma marca? Certo é que ela pode ir se dissolvendo bem devagarzinho, ao longo de muitos anos. Talvez, menos do que os que são necessários para construí-la. Então, concluí: Preciso me mexer rápido.
Não sei quanto tempo leva pra destruir uma marca, mas, entendi que se houver desconsideração pela trajetória percorrida, a mensagem mal colocada, a sacada publicitária sobrepujando a informação, o público-alvo mal detectado e a prática de ensaio e erro fazendo da marca laboratório para projetos mal pensados, pode se destruir qualquer uma.

Assim, antes que isto aconteça com marca da minha empresa, resolvi me movimentar. E, agora, rapidamente.
A atuação da TCS está bem calcada e firme numa obra já visível e reconhecida pelo mercado. Mas, qual é a percepção do mercado? Qual a imagem que temos? Como somos vistos? Somos entendidos?
Perguntas que não calam!

Percebo, hoje, que o envolvimento nesta construção deve ser visceral, temos que dormir, acordar e nos alimentar pensando em soluções, idéias inéditas, nos clientes, na concorrência e nos desafios diários. Temos que compreender muito bem os nossos objetivos, compartilhar metas e, principalmente, ser apaixonado pelo projeto. Nesta perspectiva, percebo que mais do que nunca temos que levar fé nas intenções da empresa e sermos cúmplices da trajetória, comemorar as conquistas e estar junto e firme nos eventuais momentos de crise ou derrota.
Isto porque a marca é o todo, vai muito além das estratégias de divulgação, comercial e de marketing. Tem a ver com o DNA.
Entendi muito bem que não se cria uma marca com um fim nela mesma e também é preciso saber que cada movimento que ela faz agrega imagem positiva ou negativa nela.
Os projetos da marca têm que ter uma cara própria e expressar a sua personalidade. Um trabalho de marketing comprometido nunca pode permitir divulgar uma mensagem que coloque a marca como pano de fundo para uma sacada publicitária, gostos pessoais ou ações frívolas.
Afinal, a Marca vale mais do que uma só campanha.

Aos 17 anos de vida a TCS segue firme no propósito de construir uma marca forte, renovando a cada dia e aplicando alma na nossa sigla e símbolo, através de dias bem vividos e com o objetivo claro de fazer tudo com a mente e o coração conectados.


Ricardo Timmers
Diretor TCS Sistemas